19 de Março de 2019

Ensaio sobre a visão

texto António Branco

Durante grande parte da sua vida, e para além dela, Lennie Tristano foi uma figura controversa e um “outsider” no mundo do jazz. Longe da fama, limitou a sua atividade a um círculo próximo, que se foi tornando cada vez mais restrito à medida que o tempo passava. A jazz.pt evoca-o no ano em que se assinala o centenário do seu nascimento.

Ler mais

12 de Março de 2019

Uma noite nos trópicos (6/ Louis Moreau Gottschalk)

texto António Branco

Louis Moreau Gottschalk foi o primeiro pianista norte-americano a obter reconhecimento internacional e a incorporar nas suas obras os ritmos populares do continente. Jamais sonhou vir a influenciar um género musical que, anos mais tarde, se viria a chamar… jazz. António Branco recorda-o no sexto episódio de Jazz Vária.

Ler mais

6 de Março de 2019

70 anos numa revista que é um livro

texto Gonçalo Falcão

Está publicado o primeiro número da revista / livro (porque havia muito que contar) Hot News, dedicado à comemoração dos 70 anos de existência do Hot Clube de Portugal, com coordenação de Inês Homem Cunha e António Curvelo. Já não era sem tempo.

Ler mais

26 de Fevereiro de 2019

Um tempo que ficou para trás (5/ Orquestra Girassol)

texto António Branco

Dirigida por Zé Eduardo, nome fundamental para o grande salto qualitativo dado pelo jazz nacional em meados da década de 1970, a Orquestra Girassol foi a primeira “big band” a gravar um disco em Portugal. António Branco recupera-o do olvido no quinto episódio de Jazz Vária.

Ler mais

12 de Fevereiro de 2019

A árvore da felicidade (4/ Scott Joplin)

texto António Branco

A relação entre jazz e ópera não é, infelizmente, muito abordada. No quarto episódio de Jazz Vária, António Branco recorda “Treemonisha”, ópera composta por Scott Joplin em 1911, mas só levada ao palco em 1972. Hoje é considerada uma obra fundamental do património operático norte-americano.

Ler mais

29 de Janeiro de 2019

Conversas na catedral (3/ Duke Ellington)

texto António Branco

Edward Kennedy “Duke” Ellington (1899-1974) nunca se acomodou ao rótulo de “músico de jazz”, preferindo descrever a sua arte como “música americana”. No terceiro episódio de Jazz Vária, António Branco lembra os seus “concertos sagrados” e o recente restauro digital do filme-concerto de Coventry.

Ler mais

15 de Janeiro de 2019

A era do jazz (2/ Scott Fitzgerald)

texto António Branco

Garboso e altivo, mas incapaz de sustentar financeiramente a sua excentricidade, Francis Scott Fitzgerald (1896-1940) foi o maior cronista da chamada “era do jazz” (expressão cunhada pelo próprio). António Branco lembra-o neste segundo episódio de Jazz Vária…

Ler mais

3 de Janeiro de 2019

Vidas cruzadas (1/ Hampton Hawes)

texto António Branco

Vária (do latim varĭa, neutro plural, «coisas várias»): Vá-ri-a. Nome feminino. Coletânea de obras variadas. Conjunto de diversos assuntosFactos, curiosidades, memórias, apontamentos soltos. História e estórias com jazz e suas periferias. Uma coluna de António Branco.

Ler mais

27 de Dezembro de 2018

Melhores de 2018

jazz.pt

Chegados a mais um final de ano na viagem do jazz é tempo de verificar que marcas nos deixou a música destes últimos 12 meses. Estas são as da Redacção da jazz.pt e de dois convidados muito especiais, o investigador José Dias (Manchester Metropolitan University, no Reino Unido) e o jornalista e crítico brasileiro Fabricio Vieira, do blogue FreeForm FreeJazz (imagem acima: “Five Guys Named Joe”, de Debra Hurd).

Ler mais

11 de Dezembro de 2018

Cartazes que se tornaram livro

texto Gonçalo Falcão

A tempo das compras de Natal, acaba de ser editado um livro curioso para a história do “design” e do jazz em Portugal. O título em Inglês – “Jazz Posters” – não disfarça a imensa portugalidade do trabalho, no qual uma lúcida paixão se transforma em virtude.

Ler mais

20 de Setembro de 2018

Lisboa na Europa

texto Carlos Martins fotografia Andreea Bikfalvi / Sons da Lusofonia

O anfitrião, enquanto responsável da Sons da Lusofonia, da conferência da Europe Jazz Network (EJN) em Lisboa faz neste texto uma primeira reflexão, a quente, sobre o que aconteceu de 13 a 15 de Setembro passados no CCB e em outros espaços, entre reuniões e “showcases”. E promete debruçar-se mais adiante sobre o que resultará desta vinda a Portugal dos principais promotores do jazz ao vivo na Europa. Como afirma repetidas vezes, «é necessário escutar mais e falar menos»…

Ler mais

23 de Agosto de 2018

Até ao fim da vida

texto Nuno Catarino fotografia Rui Dias

O duo de voz e piano vai ter o seu primeiro disco a circular desde o presente mês de Agosto e é o registo de um concerto na Noruega, “Live in Oslo”. A jazz.pt ficou a saber que muitos concertos e outros álbuns estão na calha, numa colaboração que os seus protagonistas desejam que seja longa.

Ler mais

25 de Julho de 2018

Zorn em 10 discos

texto Gonçalo Falcão

Guia para os que desejam conhecer John Zorn no seu melhor e já gastaram o subsídio de férias – parte dele para assistir à Special Edition do Jazz em Agosto dedicada ao saxofonista, que tem início já esta sexta-feira, 27 de Julho – e não pode torrar 2500 euros em discos só de uma vez.

Ler mais

9 de Julho de 2018

O Imaxinasons nunca existiu

texto Rui Eduardo Paes

Terminou a 4 de Julho a edição de 2018 do festival que veio substituir aquele realizado em Vigo que ano após ano era reportado pela jazz.pt. Porque era o festival espanhol mais próximo de Portugal, porque incluía sempre na sua programação grupos e músicos portugueses e ainda porque se distinguia no seu conceito de todos os eventos de jazz em Espanha. Pois esse festival na verdade nunca aconteceu. Foi apagado da história.

Ler mais

25 de Abril de 2018

75 discos essenciais do jazz made in Portugal

escolhas de Rui Eduardo Paes

Já foram 50, na primeira selecção que a jazz.pt publicou em Abril de 2018, e não seria difícil chegar aos 100. São 75 na presente actualização, mas continuam a ficar de fora títulos que têm semelhantes níveis de qualidade e foram marcando a evolução do jazz e da música improvisada que se praticam no nosso país. Os 50 antes escolhidos mais 25, todos eles preciosos discos para este ouvidor, funcionando como a banda-sonora de toda uma vida.

Ler mais

26 de Dezembro de 2017

MELHORES DE 2017

jazz.pt

E eis-nos chegados ao fim de um ano de música especialmente profícuo (e com elevados índices de qualidade) no caso da produção nacional. Aqui está o balanço de 2017 segundo os ouvidos da equipa da jazz.pt, com a adição das listas de um convidado especial, o investigador José Dias. Se não ouviram alguns dos discos que se seguem, ainda vão muito a tempo de os encontrar, e se não estiveram nos concertos, fiquem atentos às próximas agendas. Os nossos votos de um óptimo 2018, com muito jazz.

Ler mais

29 de Maio de 2017

Ouvido e improvisado

Desenho Rita Draper Frazão

A artista plástica e ilustradora Rita Draper Frazão voltou este ano a Atouguia da Baleia para desenhar o que ouviu no “congresso” dos improvisadores. Enquanto não esteve sentada na primeira fila a desenhar o que acontecia, foi convidada a subir ao palco para “tocar” as suas imagens com os músicos. Aqui ficam algumas das suas impressões auditivas (em cima, uma partitura para o grupo Baphomet)…

Ler mais

27 de Dezembro de 2016

MELHORES DE 2016

jazz.pt

E eis-nos chegados ao fim de mais um ano, com muita música colocada em disco ou dada a ouvir no palco. Aqui ficam as preferências da nossa equipa. O que não ouviram ainda procurem, que vai valer a pena… Ficam os nossos votos de um óptimo 2017, cheio de criatividade e de tudo o mais que vos faça felizes.

Ler mais

31 de Outubro de 2016

Ver para crer

texto Nuno Catarino

Um novo disco reúne o contrabaixista italiano, residente em Lisboa, Massimo Cavalli e músicos nacionais como Mário Laginha e Ricardo Pinheiro ao histórico Dave Liebman e a Eric Ineke. Aqui se conta como é que isso aconteceu…

Ler mais

20 de Setembro de 2016

Sempre em crescendo

Nuno Catarino

A escadaria que liga a Baixa de Coimbra à zona universitária é palco, todos os anos, de um ciclo de jazz ao ar livre com características sui generis, e isso porque o público se dispõe à frente e atrás dos músicos ou espalha-se pelas varandas e pelas janelas. Aqui se conta como foi a edição deste ano, com palavras do seu programador…

Ler mais