, 24 de Dezembro de 2013

Morreu Yusef Lateef

Depois da falsa notícia da morte de Horácio Tavares da Silva, pianista de pais cabo-verdianos mais conhecido nos anais do jazz como Horace Silver, e cumulando com um ano de desaparecimentos de músicos da primeira linha, como Jim Hall e Ronald Shannon Jackson, eis que o ano termina com uma triste revelação: deixou-nos a 23 de Dezembro, com 93 anos de idade, o multi-instrumentista (saxofone tenor, flautas, oboé, fagote, shenai, shofar, arghul) Yusef Lateef.

Conhecido por ter sido um dos primeiros músicos na história do jazz a interiorizar a influência das músicas orientais, tendo mesmo influenciado John Coltrane no derradeiro período deste, Lateef manteve-se activo até praticamente o final da sua vida. Mais notável foi o facto de a sua imensa criatividade ter ficado inalterável ao longo do tempo, sempre com uma invulgar capacidade de se renovar. Tocou com Milt Jackson, Kenny Burrell, Dizzy Gillespie e Cannonball Adderley, mas foi à frente dos seus próprios grupos que este membro da seita islâmica Ahmadiyya ganhou nome a partir da década de 1960, aquela em que também passou a introduzir elementos da soul e do gospel no seu estilo pessoal.

O seu legado ficará e este passa, sobretudo, por dois músicos jovens: Adam Rudolph, o percussionista que foi seu braço-direito nestes últimos anos (ouvimo-lo com Thomas Chapin numa edição do Jazz em Agosto), e o trombonista Michael Dessen, artista da portuguesa Clean Feed, que foi seu aluno e escreveu alguns dos mais interessantes textos que já foram dedicados ao velho mestre.