, 9 de Abril de 2014

Alberto Conde grava novo projecto em Coimbra

Uma das mais importantes figuras do jazz galego e espanhol, o pianista Alberto Conde estará em Coimbra entre os próximos dias 14 e 17 de Abril para gravar com o Human Evolution Music Project, no Auditório do Conservatório de Música da Cidade Universitária, aquela que será a sua próxima obra no domínio do world jazz. A edição estará a cargo da portuguesa JACC Records.

O sexteto é conduzido pelo próprio e inclui o saxofonista e flautista Xose Miguelez (também em gaita de foles), o manipulador de dispositivos electrónicos DJ B.O.U.L.E, que estará ainda a cargo da produção, os indianos Shakir Khan (sitar) e Vikas Tripathi (tablas) e um convidado português, o violetista José Valente.

As composições são da autoria de Conde e Shakir Khan, constituindo uma narrativa sobre a evolução da humanidade. O disco incluirá contribuições dos artistas Victor González e Ramón Trigo e será preparado um vídeo pelo “atelier” MM FineArt & Love.

Alberto Conde é apontado como o “inventor” do muiñeira jazz, forma de fusão que inclui elementos do jazz, da tradição popular da Galiza, da música clássica e do Oriente, neste último caso por via das colaborações com o percussionista Nirankhar Khalsa. Em 2013 lançou um aplaudido álbum de adaptações jazzísticas do brasileiro Heitor Villa-Lobos.

Khan é um jovem discípulo do mestre do sitar Ustad Shahid Parvez Khan, seu pai, caracterizando-se pelo seu carisma e por uma técnica superlativa. Triparthi aplica, pelo seu lado, os ensinamentos de Samta Prasad Mishra para o único instrumento de percussão (a tabla) que se toca como se fosse um piano, com a ponta dos dedos, e fá-lo tanto no contexto da música clássica da Índia como em diálogo com outras culturais musicais.

Miguelez divide a sua carreira entre o jazz e o folclore galego, tendo feito a sua licenciatura na ESMAE do Porto. B.O.U.L.E é um dos nomes de topo da “club music” espanhola, a ele se devendo a sonoridade digital deste projecto de mestiçagens. Por fim, o conimbricense José Valente é um inovador das possibilidades da viola de arco que vem cruzando a gramática da música erudita com a linguagem do jazz, que estudou em Nova Iorque, na New School for Jazz and Contemporary Music.