, 4 de Julho de 2014

Mauricio Takara e Baoba Stereo Club vêm ao Nervo

A maratona de concertos Nervo leva ao Clube Recreativo dos Anjos, a 19 de Julho próximo e a partir das 17h00, quatro projectos nacionais e um brasileiro das áreas ambíguas entre o jazz, a improvisação, o rock e o experimentalismo electroacústico. Naquele espaço de Lisboa cada vez mais incontornável no roteiro da música ao vivo o cabeça-de-cartaz será Mauricio Takara, membro dos São Paulo Underground de Rob Mazurek que vem a Portugal como convidado do grupo Baoba Stereo Club (foto acima). Serão os últimos a actuar, já bem entrada a noite, depois de Namazoo, Bande à Part, Vicente/Marjamaki e Signs of the Silhouette com Hernâni Faustino.

Os Namazoo são um grupo psicadélico do Barreiro resultante da junção de elementos dos Electric Super Sex, orientados para o stoner rock, com o saxofonista barítono de free jazz Paulo Alexandre Jorge e um segundo baterista com actividade na música improvisada, Guilherme Parreira. Os seus concertos são já conhecidos pelo enorme impacto sonoro.

A Bande à Part consiste num trio de livre-improvisação, reunindo o violoncelo de Joana Guerra, os clarinetes soprano e baixo de Ricardo Ribeiro e a percussão de Carlos Godinho. A música baseia-se numa sonoridade de madeira, com explorações tímbricas e de textura que não exclui a inclusão de motivos rítmicos e a procura de situações harmónicas pouco convencionais.

Depois apresenta-se o duo do trompetista Luís Vicente com a electrónica de Jari Marjamaki, músico nórdico residente em Lisboa bem conhecido nos meios da “club music”. Trata-se de um jazz ambiental de fortes evocações cinematográficas, com tanto de Don Cherry como dos universos caros a um Jon Hassell.

Os Signs of the Silhouette ainda aprofundam mais essa vertente imagética, até porque os seus espectáculos são marcados pelos vídeos de Miguel Cravo. A guitarra e a bateria, reforçados pelo contrabaixo de Hernâni Faustino, percorrem territórios similares aos de Godspeed You! Black Emperor e Sunn 0))) no seu encadeamento de “drones” rifados, sempre segundo os princípios da composição imediata.

O trio Baoba Stereo Club é formado por improvisadores da rica cena paulista, a saber o guitarrista Henrique Diaz, o teclista Bruno Gold e o baterista/percussionista Paulo “Snoopy” Soares. O que tocam é um jazz criativo interferido por elementos do rock, da música electrónica e da particular rítmica brasileira. Mauricio Takara, que com o trio vem colaborando, participa em sintetizador e trompete. Dele estarão lembrados aqueles que assistiram, no ano passado, ao concerto do Jazz em Agosto de Pharoah Sanders & The Underground.

A banda vem ao Milhões de Festa, trazida pela Lovers & Lollypops, e faz este desvio lisboeta pela mão de Pedro Tavares, o produtor do evento. Para os Baoba é o início de uma digressão pela Europa...