, 14 de Setembro de 2014

Seixal Jazz de volta

Um dos primeiros festivais da “rentrée”, o Seixal Jazz voltará em Outubro próximo a levar o jazz até à margem Sul do Tejo, com um programa dividido em dois fins-de-semana e novamente centrado no Fórum Cultural do Seixal. O arranque acontece da melhor maneira, a 17, com o pianista Craig Taborn e a sua música tão elegante quanto intensa, partilhada com Thomas Morgan e Gerald Cleaver. O mesmo figurino instrumental – piano, contrabaixo e bateria – repete-se no dia seguinte, mas com uma participação portuguesa e uma orientação bem distinta, a de Mário Laginha com Bernardo Moreira e Alexandre Frazão. Em sofisticação e “drive” o empenho é o mesmo, como se verificou quando estes três gravaram a sua versão da música de Chopin.

A noite de 23 de Outubro pertence ao Atlas Trio de Louis Sclavis, projecto que vem da nebulosa ECM, à semelhança do Craig Taborn Trio, mas como este mantém as distâncias relativamente à sonoridade nórdica da etiqueta de Manfred Eicher. O seu jazz europeu com influências da música clássica e do rock terá, com certeza, pontos em comum com a proposta do festival para dia 24, a dos Lokomotiv de Carlos Barretto com o jovem Ricardo Toscano como convidado. Esta é a prova de fogo do saxofonista cuja trajectória ascendente o coloca, finalmente, ao lado dos veteranos da cena nacional.

O fecho a 25, esse, será bem americano, com o quinteto de Ambrose Akinmusire, trompetista que continua a tradição do hard bop, mas conduz este a desenlaces surpreendentes e depressa se está a tornar numa das glórias presentes do jazz.