, 20 de Fevereiro de 2015

Jazz de volta à Amadora

Com programação do Jazz ao Centro Clube, realiza-se de 4 a 7 de Março a quinta edição do Ciclo de Jazz da Amadora, com quatro concertos a terem lugar nos Recreios da Amadora.

A primeira sessão (dia 4) é de entrada livre, mediante levantamento de ingresso limitado à lotação da sala. Nas vésperas da edição do seu primeiro disco, toca o grupo Slow is Possible do guitarrista João Clemente, tendo consigo Bruno Figueira (saxofone alto), Patrick Ferreira (clarinete), André Pontífice (violoncelo), Nuno Santos Dias (piano), Ricardo Sousa (contrabaixo) e Duarte Fonseca (bateria). Trata-se de um jazz cinematográfico, lembrando vagamente as bandas sonoras de John Zorn, com influências tanto do rock como da música erudita contemporânea.

Também com entrada gratuita, a segunda actuação tem cariz familiar. Apresentam-se os miúdos do Gera Jazz (Orquestra Geração), iniciativa de que se espera saírem muitos dos futuros músicos de jazz portugueses. Dirige o trombonista Eduardo Lála.

No dia 6, vez para o quarteto Chibanga Groove com o mestre guineense do kora (harpa da tradição mandinga) Brahima Galissa como convidado especial. No cruzamento do jazz com as sonoridades africanas, o projecto reúne instrumentistas de várias nacionalidades residentes em Lisboa, a saber o trompetista Johannes Krieger, o pianista Dan Hewson, o contrabaixista Francesco Valente e o baterista João Rijo. Na ocasião será lançado CD da JACC Records, gravado o ano passado por ocasião da sua passagem pelos Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra.

O fecho faz-se, a 7 de Março, com a interpretação jazzística do repertório da mais importante fadista da história, Amália Rodrigues. É um tributo a solo do pianista Júlio Resende, comprovando a existência de um jazz efectivamente português. As entradas para estes dois últimos concertos são bem acessíveis: 5 euros apenas.