, 25 de Abril de 2015

Maio com MIA

O MIA – Encontro de Música Improvisada de Atouguia da Baleia (Peniche) já tem o programa fechado. Serão cerca de 80 os músicos presentes naquele que é já conhecido como o “congresso da improvisação”, provenientes de uma dúzia de países. Entre os intervenientes estarão, por exemplo, Silvia Corda (foto acima), Karoline Leblanc, Adriano Orrù, Carlos “Zíngaro”, Maresuke Okamoto, Carlo Mascolo, Samuel Hallkvist e Paulo Curado.

 

O início faz-se, na tarde de sexta-feira 15 de Maio, com um “workshop” orientado por François Choiselat sobre improvisação e “soundpainting”, terminando com um concerto de apresentação dos resultados obtidos. À noite (22h00), na Igreja de S. José, toca o trio Mar, Orrù & Rocha, constituído por Maria do Mar (violino, viola), Adriano Orrù (contrabaixo) e Luiz Rocha (clarinete).

O sábado 16 será, como habitualmente, uma maratona de actuações ao vivo na Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro e ao ar livre, com início às 15h30. Prmeiro intervém o colectivo Peixe Frito, formado por Alvaro Rosso (contrabaixo), Luís Guerreiro (trompete, electrónica, percussão), Paulo Chagas (flautas, saxofones) e Pedro Santo (bateria, electrónica). Seguem-se grupos sorteados no momento e, finalmente, o Sunset Octet. Este vai tocar junto à Fonte Gótica de Nossa Senhora da Conceição, com Simona Verrusio e Paulo Curado nos saxofones, Cortez-Lamont III e Thierry Cardoso nas guitarras, Pedro Rico e Rui Sousa nos baixos e Luís Fernandes e Luís Filipe Silva na percussão.

De volta à Sociedade Filarmónica, o serão inicia-se (21h30) com o lançamento do livro “Bestiário Ilustríssimo II / Bala”, de Rui Eduardo Paes, apresentado por duas participantes no evento, Maria do Mar e Maria Radich. O Colectivo Figurativo abre a parte propriamente musical da noite, com participações de Karoline Leblanc (piano), Eduard Altaba (contrabaixo), Samuel Hallkvist (guitarra), Paulo Ferreira Lopes (bateria), Guy-Frank Pellerin (saxofones) e Timothée Crozat (electrónica). Segue-se o Ensemble MIA, formado pela totalidade dos músicos presentes.

A tarde de domingo arranca, à mesma hora, com a Kerlox Dynamic Band, constituída por Carlo Mascolo (trombone, electrónica), Domenico Saccente (acordeão), Michele Russo (piano, sintetizador) e Felice Furioso (bateria, cupa-cupa). Seguem-se mais grupos sorteados e o colectivo Improvisadores do Adro. Este vai apresentar-se no anfiteatro do Jardim de Nossa Senhora da Conceição, com quatro palhetas (Albert Cirera, António Ramos, João Pedro Viegas, Mateja Dolsak), um trompete (António Pinto) e dois acordeões (Benedetto Fanna, Quinto Fabriziani).

Às 22h00, na Sociedade Filarmónica, vez para o Granular Chamber Sextet. Fruto de uma parceria entre a associação de músicos Granular e o MIA, este ensemble inclui Carlos "Zíngaro" (violino), os contrabaixistas João Madeira e Miguel Falcão, Fernando Simões (trombone), João Pedro Viegas (clarinetes) e a pianista Silvia Corda. Logo depois, sobe ao palco um segundo formato do Ensemble MIA. A partir da meia-noite dos três dias, no Armazém dos Tubos, acontece a MIA Party, em jeito de “jam session”. Mais informações em http://mia-festival.blogspot.pt/search/label/MIA%202015.