, 11 de Junho de 2015

Jazz “em relação” no jardim de Serralves

Os finais de tarde dos primeiros três domingos de Julho serão de jazz no jardim da Fundação de Serralves, Porto. A 5, 12 e 19 de Julho próximos decorre a 24ª edição do Jazz no Parque, pelo segundo ano com programação do ensaísta e crítico de música Rui Eduardo Paes. O ciclo abre com o francês I.Overdrive Trio (5), continua com o Alberto Conde Human Evolution Music Project (12), formação que inclui galegos, indianos e um português, José Valente, e conclui com o Hugo Carvalhais Quarteto & Drumming GP (19), reunindo prata-da-casa e o lituano Liudas Mockunas.

As linhas de força deste cartaz estão no posicionamento do jazz em relação com outras músicas. Nos casos, e respectivamente, o rock, as sonoridades da Índia e a música erudita contemporânea. O I.Overdrive Trio de Philippe Gordiani (guitarras, foto acima), Remi Gaudillat (trompete) e Bruno Tocanne (bateria) interpreta as suas próprias versões de temas compostos por Syd  Barrett para os Pink Floyd do período inicial e para a sua curta carreira a solo, abandonada devido ao estado de demência a que o músico chegou em consequência do abuso de substâncias psicotrópicas.

O Human Evolution Music Project do pianista e compositor viguense Alberto Conde realiza um cruzamento do jazz com a música clássica indiana, numa perspectiva muito influenciada pela tradição popular galega, buscando aspectos comuns entre esta e os ragas. O grupo inclui o mestre sitarista Shakir Khan, de Bombaim, o tablista Vikas Tripathi, Xosé Miguélez em saxofone tenor, flauta e gaita-de-foles, DJ B.O.U.L.E. em electrónica e o já referido José Valente em viola. O repertório é aquele que consta no CD “Human Evolution”, editado o ano passado pela conimbricense JACC Records.

O contrabaixista e compositor Hugo Carvalhais irá apresentar uma obra inédita e especialmente concebida para o efeito, associando ao seu quarteto com Liudas Mockunas e Fábio Almeida em saxofones e com Mário Costa em bateria três membros do Drumming GP. Rui Rodrigues, João Tiago Dias e Nuno Aroso representarão este ensemble do Porto especializado na interpretação de obras contemporâneas para percussão, bem como a desenhadora de som Suse Ribeiro.

O projecto de programação de Rui Eduardo Paes previa a realização de um quarto concerto, tal como aconteceu em 2014, mas um corte no orçamento do Jazz no Parque obrigou a que se regressasse ao modelo anterior de apenas três sessões. Estas realizar-se-ão, como habitualmente, no “court” de ténis, a partir das 18h00.