, 12 de Janeiro de 2016

Vem aí mais Leitmotiv

O ciclo Leitmotiv chega a 2016 com novas fornadas do projecto que vem questionando os factores de autoria da música escrita e a relacionação desta com a música improvisada. Iniciativa da lisboeta Galeria Zaratan, o modelo que se seguiu mês após mês era simples, mas complexo nas implicações: pedia-se a um músico que definisse uma ideia musical em texto, este era passado a um artista plástico para a partir dele criar uma partitura gráfica e a dita era finalmente entregue a um grupo de improvisadores para sua interpretação. No dia do concerto a partitura ficava à disposição dos interessados, numa edição limitada.

O modelo será retomado já no próximo dia 21 de Janeiro. Percussionista que se revelou com os Plexus de Carlos “Zíngaro” no início da década de 1970 e desenvolveu colaborações com Sei Miguel e Ernesto Rodrigues, hoje constituindo metade do projecto Sirius, é Monsieur Trinité o prosador / compositor convidado. O pintor Bernardo Rodrigues Ná preparou a partitura e caberá aos Cacto (foto acima), dupla de improvisação constituída por Nuno Torres (saxofone alto) e Ricardo Jacinto (violoncelo) a interpretação final.

No dia 26 de Fevereiro nova sessão do Leitmotiv terá lugar. A compositora Diana Combo escreveu, Aude Barrio desenhou e um novo duo formado por Maria do Mar (violino) e Jari Marjamaki (electrónica) vai tocar o que resulta desta colaboração em vários momentos.