, 4 de Fevereiro de 2016

Jazz’aqui quer levar jazz nacional para fora

Quando se sabe, consultando as publicações internacionais, que o jazz tocado em Portugal é cada vez mais procurado e apreciado no mundo, o objectivo que tem conduzido ao desenvolvimento do Projecto Jazz’aqui não parece, de todo, megalómano. A semente está atirada à terra, pelo que agora é uma questão de a regar, por mais difícil que a tarefa se anuncie. E qual é ele? «Promover e divulgar o jazz português fora de portas», mediante a realização de um «festival de jazz itinerante em vários países, com inclusão de “workshops”, conferências e exposições, assim criando uma montra global para os músicos nacionais», como referem os promotores da ideia, todos eles músicos não de Lisboa, do Porto ou de Coimbra, os principais centros da actividade jazzística nacional, mas de Minde.

São eles Pedro Moura Alves, Tiago Mendes Rodrigues, Miguel Santarém Pires e Duarte Fonseca. O último é o baterista do grupo-surpresa Slow is Possible e o responsável financeiro da Casa do Povo de Minde, a entidade que organiza o festival Jazz Minde. A iniciativa conta já com os apoios públicos de Carlos Bica, André Fernandes, Desidério Lázaro, João Lencastre, Hugo Antunes, Sérgio Carolino, João Hasselberg, Luís Vicente, Filipe Sousa, Gileno Santana e João Firmino, entre outros, sendo Bica o seu embaixador. As editoras JACC Records e Sintoma Records também já aderiram e conversações com estruturas como a Porta-Jazz, o Jazz ao Centro Clube ou a Clean Feed / Trem Azul estão em curso. Em preparação encontra-se já um evento em Berlim, na Alemanha.

O Jazz’aqui tem ainda outro foco, e este virado para dentro, ou seja, para o próprio País: «A promoção do jazz em Portugal, através da realização de residências artísticas de músicos portugueses em parceria com músicos estrangeiros, possível registo discográfico e apresentação dessas parcerias em concertos e/ou festivais de jazz nacionais.» Para conseguir tudo isto, o Projecto está a candidatar-se a alguns programas de financiamento, dependendo a concretização dos planos delineados do sucesso que se obtiver. Neste contexto, todos os apoios, pessoais ou institucionais, são bem-vindos e o Projecto Jazz’aqui tem o da jazz.pt. Mais informações em http://www.jazzaqui.com/ ou na página de Facebook da organização, https://www.facebook.com/projectojazzaqui