Mary Halvorson Quintet: “Bending Bridges” (Firehouse 12)

Gonçalo Falcão

“Bending Bridges” é a segunda gravação de Mary Halvorson com o seu quinteto e o disco em que mais gosto de a ouvir. As composições escritas para este grupo que iremos conhecer ao vivo no próximo Jazz em Agosto denotam uma grande evolução, não só na escrita – sofisticada, inteligente e bela – como nos arranjos e na execução.

A música não é classificável como experimental ou clássica, “avant-garde” ou neo. Não pretende ser fácil, mas tem uma fluidez lógica, sendo desafiante sem abdicar da procura de uma beleza natural. Os arranjos são barrocos como num “crochet” laborioso, mas resolvem-se de forma natural e orgânica. Este contraponto entre uma angularidade desconexa e a resolução simplificadora desse desconchavo é o elemento mais marcante do disco.