Rainbow Body

Josef Dumoulin Trio: “Rainbow Body” (Bee Jazz Records)

Bee Jazz

António Branco

Depois da estreia, em 2009, com o seu grupo Lidlboj (“Trees Are Always Right”, também para a Bee Jazz) e da sua saliente presença enquanto “sideman” no disco “Short Cuts”, do flautista francês Magic Malik, o pianista belga Josef Dumoulin surge agora no contexto de um trio elétrico, tendo como empáticos comparsas o baixista Trevor Dunn e o baterista Eric Thielemans.

O que ressalta de mais relevante da audição deste “Rainbow Body” são os arranjos assimétricos, plenos de choques e contrastes, nos quais são justapostos ou mesmo sobrepostos elementos de diferente proveniência estética. Fica claro um sentido de organização, mesmo quando os músicos estabelecem estratégias de confronto sónico (geralmente dois para um, nem sempre totalmente conseguidas) ou existem abruptas mudanças de direção, uma constante ao longo de todo o disco.

A sonoridade de Dumoulin é bastante ampla, evocando tanto uma eletrónica datada dos anos 1970, explorando um Fender Rhodes de cunho “milesiano” (certas manobras de Chick Corea vêm amiúde à mente) ou mesmo desenvolvendo atmosferas derivadas do rock progressivo.

Morno, “Mata” abre as hostilidades. Seguem-se a ambiência demencial de “For the Monsters Under Our Beds” e “Fuga X”, um dos pontos mais altos, onde a uma batida roqueira se sobrepõem estruturas devedoras de Mestre Bach e sintetizadores planantes, numa revigorante amálgama que alude ao célebre “Song X”, da dupla Metheny/Ornette.

Lento e hipnótico, “Mei” explora territórios oníricos e “Shinji” vive do conflito entre a tempestade elétrica gerada pela seção rítimica e as camadas atmosféricas providenciadas pelo sintetizador.

Outra peça curiosa é “The Dragon Warrior”, de base a roçar algum rock macio de má memória da década de 80, mas com uma excelente prestação de Dumoulin a equilibrar as contas. Notas ainda para o fôlego quase operático de “Volkan”, para o notável trabalho de percussão de Thielemans no etéreo “Sosuke” e para “Venkatamaram”, assente num motivo de baixo bem urdido por Dunn, em torno do qual se vão entrelaçando as outras intervenções.

Um disco com altos e baixos, mas que no cômputo geral se acaba por revelar digno de escuta atenta.

  • Rainbow Body

    Rainbow Body (Bee Jazz)

    Josef Dumoulin Trio

    Josef Dumoulin (Fender Rhodes, sintetizadores); Trevor Dunn (baixo elétrico); Eric Thielemans (bateria)