Volta

José Peixoto / António Quintino: “Volta” (JACC Records)

JACC Records

António Branco

José Peixoto é conhecido do grande público sobretudo por via da sua colaboração com os Madredeus. Mas a relevância musical do extenso trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo guitarrista e compositor em muito extravasa e participação no grupo dirigido por Pedro Ayres de Magalhães.

Para além de compositor de distinta escrita, Peixoto expressa todo o seu domínio virtuosístico da guitarra, tocando-a como se se tratasse de um oud (o tradicional alaúde árabe), ou seja, enquanto instrumento melódico. Já António Quintino é um contrabaixista em franco processo de afirmação no panorama do jazz nacional.

O encontro entre ambos dá-se na JACC Records depois da conseguida participação de Quintino no mais recente disco do projecto El Fad, liderado pelo guitarrista, “Lunar”, também na editora coimbrã, onde protagonizavam um promissor dueto na peça “Na esquina, à espreita”. Os dois músicos voltam a encontrar-se neste “Volta”, desenvolvendo uma cumplicidade em torno da linguagem muito pessoal de Peixoto, tão rica em cruzamentos e miscigenações musicais.

Com sabor nitidamente mediterrânico (abarcando a sua diversidade cultural, do Alentejo/Algarve ao norte de África, passando pela Andaluzia), “Volta” mostra os dois músicos em verdadeiras manobras de complementaridade artística, não muito habituais, unindo as vozes dos seus dois cordofones de um modo bastante profícuo.

Os diálogos estabelecidos pendem mais para um determinado formato “jazzístico” (a aproximar-se de algumas fusões desenvolvidas nos idos de sessentas e setentas do século XX) do que para certas formulações “clássicas” por vezes associadas ao trabalho de Peixoto. Atente-se nas belíssimas melodias de “Que Sente uma Nuvem Sozinha no Céu?” e “Não Mais que um Aceno”, no guitarrismo cristalino de “Materno”, no perfume magrebino de “Amarelo Intermitente“ e na dinâmica rítmica de “Há dias que não são fáceis”.

“ATL” é um exercício de livre improvisação a três. Particularmente importante é a contribuição, em cinco peças, do baterista/percussionista José Salgueiro (que também integrou o El Fad) ao acrescentar um perfume extra que em muito enriquece o resultado final. Um disco deveras interessante, capaz de atrair cultores de diferentes quadrantes do espetro musical.

  • Volta

    Volta (JACC Records)

    José Peixoto / António Quintino

    José Peixoto (guitarra); António Quintino (contrabaixo) + José Salgueiro (percussão)