Somewhere

Keith Jarrett Standard Trio: “Somewhere” (ECM)

ECM

Rui Eduardo Paes

O novo “Somewhere” do Standard Trio de Keith Jarrett contém gravações (ao vivo, como vem sendo habitual) de 2009, ou seja, datando de oito anos depois dos últimos registos editados pela ECM. Sabendo que esta formação do lendário pianista poucas vezes se apresenta em concerto, deixa de ter importância verificar o que evoluiu nos músicos e na sua arte. E ainda bem, porque os graduais aprofundamentos da fórmula “piano jazz trio” a que Jarrett, Gary Peacock e Jack DeJohnette se têm dedicado são, já por si, os plurais resultados de um elevado grau de maturidade musical e não um processo de “envelhecimento”, no sentido que se dá ao vinho.

A música evolui sempre, porque é essa a sua natureza, mas estes três gigantes do jazz há muito que desfizeram o mito da “evolução”: em jovens, já eram geniais. Nada mais eles tiveram de provar enquanto os cabelos lhes embranqueciam…

Nesta colecção de peças, com dois originais jarrettianos (“Deep Space” e “Everywhere”), duas leituras de Leonard Bernstein (“Somewhere” e “Tonight”), clássicos do “songbook” americano como “Stars Fell in Alabama”, “Between Devil and the Deep Blue Sea” e “I Thought About You” e uma retoma do “Solar” de Miles Davis, há uma temática unificadora com quatro intersecções: o espaço sideral, o espaço das profundezas oceânicas, o espaço geográfico entendido em abstracto e o espaço interior, mental.

Não se trata de mera racionalização a nível dos títulos: o que ouvimos, aquilo a que já se chamou «êxtase controlado», é com espaços, respirações, que lida. Quase se poderia dizer que estamos perante um álbum conceptual, não fora dar-se o caso de o trio sempre tocar assim.

Nada há de surpreendentemente diferente em relação à anterior discografia deste projecto, e também nada há de exactamente igual. Quem segue este grupo e percebe o que pretende aceita essa regra. O Standard Trio funciona por elipses e este CD marca simplesmente a curvatura de uma delas. É bom, é precioso, como temos a certeza que será antes até de carregarmos no “play”. Mas, e se estes músicos resolvessem mudar tudo, colocar em causa o que já fizeram, romper com as nossas expectativas? Poderia ser fantástico, mas o certo é que o teimoso trabalho de pesquisa a que se dedicam há 30 anos ficaria interrompido.

Pela minha parte, prefiro verificar até onde nos leva a escavação arqueológica em curso…

  • Somewhere

    Somewhere (ECM)

    Keith Jarrett Standard Trio

    Keith Jarrett (piano); Gary Peacock (contrabaixo); Jack DeJohnette (bateria)