Luís Lopes Humanization 4tet: “Live in Madison” (Ayler Records)

Rui Eduardo Paes

Apenas o primeiro tema deste “Live in Madison” não surgiu nos dois álbuns anteriores do Humanization 4tet de Luís Lopes, “Bush Baby”, um original de Arthur Blythe que aqui ganha a acidez do rock – aliás, parece-se mais com algo que Sonny Sharrock poderia ter assinado. Os restantes já os conhecíamos: “Jungle Gymnastics”, “Two Girls” e “Dehumanization Blues” vêm de “Electricity” e “Long March for Frida Kahlo” e “Big Love” foram retirados do alinhamento do CD homónimo deste quarteto com Rodrigo Amado e os irmãos texanos Aaron e Stefan González.

Mas tem uma óbvia mais-valia em relação a esses títulos: foi gravado ao vivo no espaço Audio For The Arts de Madison, aquando da digressão que o grupo fez pelos Estados Unidos em Julho de 2011. Ou seja, a música liberta-se dos confinamentos a que um registo de estúdio acaba por obrigar, há mais improvisação e prevalece um claro espírito de “jam”. A secção rítmica dos González cresce em poder, o sax tenor de Amado está possesso, representando o melhor da “fire music” desde que Archie Shepp fez a ponte entre o hard bop e o free jazz carregando nos factores “funky”, e a guitarra de Lopes assume por completo a sua condição thrash / garage / punk. Para ouvir com o volume para cima e aos saltos.

Ah, a edição inclui outro factor valorativo: uma série de fotos tiradas por António Júlio Duarte do concerto em questão, focadas tanto nos músicos como no público a que assistia: malta da pesada, com tatuagens e garrafas de cerveja na mão. Música com gente dentro, pois então…