Every Thing Thing

Jamie Drouin / Olaf Hochherz: “Every Thing Thing” (Infrequency Editions)

Infrequency Editions

Pedro Chambel

Por vezes esquecemo-nos que as palavras que utilizamos para falar de um disco acabam por ser redundantes ou insuficientes, quando não desadequadas. “Every Thing Thing” de Jamie Drouin e Olaf Hochherz relembra-nos isso a cada momento da sua escuta. Esta tem de ser atenta e paciente se não queremos perder cada som, cada ruído que emerge, calmo e em volume baixo, do quase omnipresente silêncio. Este, quando é quebrado, deve-se à urgência de nele fazer surgir uma interrupção.

Herdeiro de Cage, o trabalho dos dois músicos revela-se como uma paciente abordagem à arte de fazer surgir sons sem abafar as sonoridades quotidianas que nos rodeiam. Grande parte do que podemos ouvir parece provir de instrumentos electrónicos, da manipulação de objectos e de amplificações produzidas por microfones de contacto. Parece, porque no CD não há qualquer referência ao instrumentário usado; poderiam ser outras as fontes sonoras Aliás, se fossem, talvez a nossa percepção fosse outra.

 E assim, este disco de sons frágeis e etéreos, de um radicalismo conceptual que não nos deve afastar da sua audição atenta e empenhada, vai-se desenrolando até aos minutos finais, altura em que uma profusão de sons se faz ouvir antes do silêncio final. Mas, também, se dele quisermos, por momentos, afastar-nos, não deixaremos de continuar com o estado de espírito que julgo ser aquele que Drouin e Hochherz pretendem transmitir-nos.

“Every Thing Thing” vem reafirmar que, na estética “near-silence”, como em muitas outras da música de hoje, ainda há muito para fazer e explorar e que os caminhos que continuam a ser percorridos pela improvisação são capazes de revelar-nos muitas surpresas. Este é, para mim, um dos mais belos e brilhantes trabalhos deste ano, mas também dos mais difíceis de recomendar, nomeadamente pela ousadia presente durante cerca de uma hora, o tempo que dura a gravação. No final, tanto podemos achar que ouvimos pouco, muito ou “apenas” o necessário. Mas, como se encontra disponível para download a um preço baixo, sempre posso apelar a que se atrevam a indagá-lo.

  • Every Thing Thing

    Every Thing Thing (Infrequency Editions)

    Jamie Drouin / Olaf Hochherz

    Jamie Drouin / Olaf Hochherz (electrónica, objectos amplificados)