39 Steps

John Abercrombie Quartet: “39 Steps” (ECM)

ECM

Gonçalo Falcão

A revisão que Abercrombie fez ao seu quarteto, adicionando o piano de Marc Copland, leva novamente a sua música para os mais altos patamares de qualidade. O guitarrista tem tocado regularmente com a bateria de Joey Baron e com o contrabaixo de Drew Gress, mas tem preferido instrumentos solistas como o sax de Joe Lovano ou o violino de Mark Feldman para completar a sua instrumentação.

Abercrombie tinha desistido do piano nos seus grupos a partir do início dos anos 1980, quando Richie Beirach integrava o seu quarteto. Ao reintegrar este instrumento faz um dos seus melhores discos de sempre. Percebe-se a desistência do piano, por ter um papel paralelo ao da guitarra – capaz de fornecer acordes e estruturas harmónicas e de solar –, mas o que aqui se prova é que o problema não é o instrumento e sim o instrumentista. Neste caso convidou Copland, um dos grandes pianistas da actualidade: o seu “Love Songs” é um disco monumental e os dois tinham feito já um primeiro teste ao gravar em duo para a Pirouet o excelente “Speak to Me”, em 2011.

Copland e Abercrombie conheceram-se logo no início das suas carreiras, no grupo de Chico Hamilton – um dos músicos de jazz infelizmente falecido em 2013 – e tocaram e gravaram juntos frequentemente ao longo dos últimos 40 anos. Copland é um pianista lírico, mas ao mesmo tempo assertivo. Simples e comovente, capaz de tirar o melhor das melodias. E Abercrombie aproveita precisamente o sentido lírico de Coplnad: o disco é dominado por baladas: seis composições de Abercrombie, duas improvisações colectivas e um clássico (“Melancholy Baby”).

Os temas denunciam a referenciação em Alfred Hitchcock (“Vertigo”, “Spellbound”, “Shadow of a Doubt” e o que dá nome a esta edição: “39 Steps”), mas não se sente a presença de mistério ou de suspense. Abercrombie está longe do som frio e saturado de “Gateway”. A sua guitarra está limpa – as características principais do seu fraseado mantêm-se (o sustem, o fraseado seco e com algum rock, os “bendings” no meio das frases, mas agora surgem com um som limpo, tranquilo). Soa mais free e mais tradicional simultaneamente. 

  • 39 Steps

    39 Steps (ECM)

    John Abercrombie Quartet

    John Abercrombie (guitarra eléctrica); Marc Copland (piano); Drew Gress (contrabaixo); Joey Baron (bateria)