2º Étage: “Grey Matter” (No Business)

Rui Eduardo Paes

Dois dos mais importantes músicos da cena francesa, a pianista Christine Wodrascka e o trompetista Jean-Luc Cappozzo, encontram-se neste trio com uma dás jóias do jazz criativo norte-americano, o baterista Gerry Hemingway, num disco que alude às operações ocorridas na “massa cinzenta” (e daí o título) quando se improvisa.

O trabalho dos três músicos flui em conjunto, como num caudal que arrasta águas e terras e os materiais que são arrancados das margens – súbitas partículas de som que vêm à tona como que por acidente, até percebermos que o acaso faz parte das lógicas inerentes a esta música. E no entanto, tudo ganha um sentido de narrativa, como se se contasse uma história. O tom é, por vezes, negro e sombrio, umas vezes com um carácter rude, como na chamada arte bruta, e em outras resultando em momentos de rara beleza. Não por acaso, é difícil reconhecer os instrumentos que produzem aquilo que aqui está registado, mas não importa, porque se trata de música colectiva.