East-West Collective: “Humeurs” (RogueArt)

Rui Eduardo Paes

O núcleo constituído pelos franceses Didier Petit (violoncelo, voz) e Sylvain Kassap (clarinetes soprano e baixo) e pelo californiano Larry Ochs (saxofones tenor e sopranino) já existia, mas entretanto surgiu a ideia de levar mais longe o factor oriental do projecto e incluir dois cordofones de origem comum, o gozheng chinês e o koto japonês, tocados respectivamente por Xu Fengxia (que também canta, com uma curiosa voz de contralto) e Miya Masaoka.

Em “Humeurs”, tanto os instrumentos “clássicos” ocidentais como os tradicionais da Ásia raramente são abordados segundo os preceitos estabelecidos, querendo tal dizer que o que aqui vem não é (felizmente, digo eu) uma tentativa de inocular o avant-jazz de etnicidade, segundo uma lógica globalista, mas de conseguir um quadro tímbrico invulgar, nos termos inaugurados na década de 1960 pelo Group Ongaku, de boa memória. Claro que se joga ainda com o exotismo dos sons, mas a perspectiva não é aquela que encontramos na world music. Se esta procura unificar por meio da equalização dos factores musicais em presença, os cinco músicos reunidos no presente CD apostam tudo na diferenciação. O que se ouve não é uma síntese “east-west”, mas outra coisa.