Nate Wooley / Hugo Antunes / Chris Corsano: “Malus” (NoBusiness)

Rui Eduardo Paes

O trio deste “Malus” seleccionou os 45 minutos de música que aqui podemos ouvir de quatro horas de improvisações gravadas num estúdio belga, não sendo, pois, de estranhar que o contrabaixista português Hugo Antunes, o mentor do projecto, apresente o álbum como um “cartão-de-visita”. Até aqui chegar, esta formação rodou pela estrada, em simultâneo com o mais alargado Posh Scorsh (os mesmos músicos mais Daniele Martini e Giovanni di Dmenico), que teve o seu primeiro disco no ano que passou. “Malus” levou mais tempo a ser documentado, mas a espera vale bem a pena: está aqui um vinil de deliciosa audição.

A abordagem é a da improvisação integral, mas com uma forte âncora na linguagem do jazz e envolvendo todas as inclinações musicais dos três participantes. Começando pela experimental, definida pela utilização de técnicas extensivas, preparações e recurso a processos electroacústicos, mas indo também a aspectos mais formais, levando a que pareça haver um envolvimento composicional. Em algumas passagens todos eles exploram as potencialidades de dispositivos tão óbvios – ou tão pouco óbvios para estes efeitos – como os amplificadores. Dois de baixo nos casos de Antunes e, por estranho que pareça, do baterista Chris Corsano, e um de guitarra por parte do trompetista “extraordinaire” Nate Wooley. Os resultados são particularmente curiosos.