Trape-Zape: “2” (CNM)

Rui Eduardo Paes

Eis o segundo tomo dos Trape-Zape de Fernando Guiomar, com Zé David nos teclados (também em flauta e no que parece ser uma trompa) e, revezando-se, com Massimo Cavalli, João Alves e Vasco Sousa no contrabaixo e Joel Zig Faria e Beto Betuk na bateria e na percussão. A distância relativamente ao primeiro disco deste projecto é enorme e vai na direcção do jazz – um jazz “mainstream”, muito composto e melódico, mas como seria de esperar com fortes influências do rock. Em primeiro plano estão as guitarras de Guiomar, bem distintas nas suas abordagens acústica e eléctrica, mas sempre primando pela característica elegância deste músico que merecia mais atenção do que a que lhe vem sendo dada.

Se a escrita é a plausível nos domínios da fusão, as soluções encontradas são, muitas vezes, surpreendentes, denotando a marca deixada pelo percurso paralelo do líder guitarrista na música livremente improvisada. É isso que torna este CD diferente de outras incursões do género, bem como o facto de esta ser uma música com personalidade própria. Num tempo em que se tende a fazer cópias de cópias de cópias já é, por si só, motivo de aplauso.