Lucía Martínez Cuarteto: “De Viento y de Sal” (Nuba Records)

Rui Eduardo Paes

Tendo presente o trabalho desenvolvido pela baterista e percussionista galega Lucía Martínez com o Projekt Azulcielo, o trio MBM e o seu duo com Agustí Fernandez, é com inevitável, e algo frustrante, surpresa que se ouve “De Viento y de Sal”, segundo tomo do seu quarteto luso-espanhol. Não porque a música aqui tocada (com Pedro Neves, João Pedro Brandão, Carl Minnemann e as vozes adicionadas de Pável Urquiza e Mario Burbano) não corresponda ao nível de competência deste cada vez mais importante nome do jazz de Espanha e dos seus companheiros do Porto, mas porque contrasta com a inventividade criativa de que esta viguense agora radicada em Berlim tem dado mostras.

A música pode ser bem pensada e tocada, mas está aquém do que já sabemos que Martínez é capaz. E isso começa desde logo pelas composições, que chegam a ser melosas no seu melodismo tão teatralmente cor-de-rosa – com Brandão a optar por um registo à la Stan Getz que ainda mais evidencia tal abordagem –, o mesmo registo mantendo-se, cansativamente, do início ao fim do disco. Quase tudo o que aqui se ouve é redondo, óbvio, certinho e, sobretudo, mole. Uma pena.