Gonçalo Almeida / John Dikeman / George Hadow: “O Monstro” (Creative Sources)

Rui Eduardo Paes

Um de poucos discos no vasto catálogo da portuguesa Creative Sources que não navegam nos territórios da improvisação reducionista, “O Monstro” alinha com uma frontalidade sem complexos na estética do free jazz. O free de Albert Ayler, possante, intenso, visceral e por vezes, até, violento. É mais uma faceta do contrabaixista e baixista eléctrico Gonçalo Almeida, o mesmo dos Lama (jazz moderno com composição) e dos Albatre (um jazz eléctrico muito influenciado pelo punk), neste caso em associação com dois músicos de língua inglesa radicados na Holanda, o saxofonista americano John Dikeman e o baterista inglês George Hadow.

A música é crua e dura, sustentada numa lógica de fraseado e totalmente improvisada, ao contrário do que acontecia com Ayler, que partia sempre de temas fixos. Nesse particular, tem coincidências com os processos da chamada música improvisada, ,mas se esta é tendencialmente livre de idiomatismos, Almeida, Dikeman e Hadow têm uma assumida filiação jazzística. Não se distinguindo o resultado de outros investimentos do género, o que aqui se dá a ouvir convence e até excita.