Bruno Macedo: “8MM” (Carimbo Porta-Jazz)

Rui Eduardo Paes

Tivesse o ponto de chegada de “8MM” (o tema “Tempestade”, em que ao quarteto de Bruno Macedo com Pedro Neves, Miguel Ângelo e Leandro Leonet se junta o teclista Miguel Ferreira) tivesse sido o ponto de partida e este disco seria memorável. Como assim não aconteceu, arrisca-se a ser apenas mais uma (agradável, sem dúvida) edição jazz protagonizada por uma guitarra. A única diferença está, precisamente, nessa derradeira faixa, um filão que seria de explorar a fundo.

E é pena, porque neste seu primeiro registo em nome próprio Macedo revela um dos mais belos sons guitarrísticos que por aí circulam. Apesar do “descomprometimento” apontado pela promoção deste 14º lançamento do Carimbo Porta-Jazz, este é um jazz comprometido, e é-o com a ambiência mítica que que foi dada a este género musical: a identificação com a noite e as atmosferas de bar. Esta é uma música de estados de espírito, a melancolia enovelando-se com o inebriamento. Imaginamo-nos sentados a uma mesa, altas horas da madrugada, com um copo de uísque na mão, fumando um cigarro e mirando a rapariga que está mais adiante com a memória noutra, há muito desaparecida. Só que o jazz, se já foi isto, é hoje outra coisa e já não deve a sua existência às insónias com pedras de gelo a tilintar.