Samuel Lercher Trio: “Épilogue” (Sintoma Records)

Rui Eduardo Paes

Nascido em Paris, mas com residência na linha de Cascais e cada vez mais entronizado com a cena lisboeta do jazz, Samuel Lercher pode ser mais um, entre tantos, herdeiro dos pianismos de Bill Evans e Keith Jarrett, mas o que nos dá a ouvir no disco de estreia do seu trio com André Rosinha (contrabaixo) e Marcelo Araújo (bateria) revela já uma voz singular e bastante cativante. Com formação clássica e um trajecto feito nessa área (podemos encontrar no Youtube um vídeo em que interpreta Debussy), o jazz que toca evidencia bem essa proveniência. Aliás, “Épilogue” termina brilhantemente com variações suas sobre a “Dança Breve nº 1” de Fernando Lopes-Graça.

Se a música contida no CD não corre grandes riscos, mantendo todos os formalismos do trio de piano jazz, o certo é que tem uma frescura e uma energia muito afirmativas, fazendo uma peça como “Lusíadas (…Mon Voyage)” prever grandes desenvolvimentos futuros. E se por cá já se reparou nele (gravações para a Antena 2, por exemplo), na sua França natal tem sido chamado para alguns importantes festivais. Aí, de resto, formou um novo grupo, Flow, com Hamza Touré, Freddy Blondeau e Christophe Marguet. Veremos em que território avança mais…