Marco Scarassatti / Eduardo Chagas / Gloria Damijan / Abdul Moimême: “Rumor” (Creative Sources)

Rui Eduardo Paes

O brasileiro Marco Scarassatti e a austríaca Gloria Damijan estiveram em Portugal há um par de anos para participarem no MIA – Encontro de Música Improvisada de Atouguia da Baleia, e aí conheceram, e tocaram com, os portugueses Eduardo Chagas e Abdul Moimême.. Os factores de identificação que encontraram entre si no palco levaram-nos a marcar uma posterior sessão de estúdio e o que vem registado em “Rumor” documenta esse encontro. Nada foi combinado ou falado antes de carregar no REC: apenas estava implícito que se trataria de uma improvisação colectiva, determinada unicamente pelas bagagens individuais de cada um dos intervenientes e pelos recursos envolvidos: as esculturas e os instrumentos inventados de Scarassatti, as entranhas do “toy piano” de Damijan, o trombone extensivo de Chagas e a guitarra eléctrica preparada de Moimême, todos eles manipulando ainda uma série de objectos não musicais amplificados.

A música resultante está algures entre o universo sonoro de Hugh Davies e Walter Smetak, dois dos grandes construtores de novos instrumentos do século XX, e as coordenadas das tendências texturais da livre-improvisação, com algum John Cage e AMM pelo meio. As peças incluídas têm uma assumida atmosfera paisagística (crepuscular, tal como sugerido pela bela capa), não estranha a um certo ambientalismo pós-Brian Eno, mas que é ao mesmo tempo inesperadamente imersiva. Ou seja, não servem de fundo para conversar ou ler um livro, puxando-nos continuamente para o seu caudal. Tudo o que vai acontecendo depende de duas linhas de força: por um lado a gestão de “drones” mais ou menos densos consoante as circunstâncias, e por outro uma disseminação aparentemente desordenada, à maneira do não-linearismo de um Morton Feldman, de pequeníssimos e detalhísticos elementos. O que quer dizer que a surpresa nos aguarda em cada minuto.