MAP: “Circo Voador” (Carimbo Porta-Jazz)

Rui Eduardo Paes

Um caso mais do jazz fresco e com substância que se vai fazendo por estes dias no Porto, o quarteto MAP de Paulo Gomes, Miguel Moreira, Miguel Ângelo e Acácio Salero visita o imaginário circense no seu novo “Circo Voador”, e fá-lo não só fugindo aos estereótipos que seriam de esperar quando se trata tal tema, como introduzindo alguns elementos assaz intrigantes – oiça-se, por exemplo, o excelente “O Domador”. A música é alusiva, quase imagética, colocando-nos diante das personagens retratadas (o mágico, a equilibrista, o palhaço pobre, etc.) de forma subtil, mas bastante consequente.

O jazz tocado insere-se naquela área ambígua que fica entre a abordagem europeísta e a utilização de «harmonias à portuguesa», se quisermos recuperar a expressão de Ricardo Toscano para indicar um estilo que é já identificado como muito nosso. De harmonias e também de planos melódicos, salientes ao longo das oito faixas e regra geral revelando um pendor ora melancólico, ora onírico, com alguma coloração rock aqui ou ali (“O Malabarista”, “O Trapezista Voador”) e um “groove” indubitavelmente jazzístico (de que o exemplo maior será, sem dúvida, “O Gatinho que Pensava Ser uma Fera”). Sem ser propriamente uma pedrada no charco, eis um disco que importa ouvir para conhecer melhor a boa música com pronúncia do Norte.