Andrea Massaria / Clementine Gasser: “The Spring of My Life” (Amirani)

Rui Eduardo Paes

Os nomes de Andrea Massaria e Clementine Gasser serão provavelmente estranhos aos ouvidos portugueses, mas nos seus respectivos países (Itália no caso do guitarrista, Áustria no da violoncelista, onde reside apesar do seu nascimento na Suíça) contam-se entre os mais prestigiados na área do jazz e da improvisação e têm estatuto internacional, confirmado pelas colaborações do primeiro com figuras de topo como Evan Parker e Oliver Lake e da segunda com Michael Zerang e Wolfgang Mitterer. Em “The Spring of My Life” encontramo-los a interpretarem partituras gráficas (com partes escritas em notação convencional) directamente inspiradas nos haikus de Kobayashi Issa, poeta japonês (e monge budista) que viveu na passagem do século XVIII para o XIX.

O que significa desde logo que a música tem um carácter minimalista e contemplativo, como se cada tema fosse um aforismo, regra geral resolvendo-se em pouco mais de dois ou três minutos. As ambiências remetem-nos por vezes para a música erudita, denunciando a formação clássica de ambos os músicos, mas há um factor experimental muito presente, começando pelas formas como a guitarra se deixa transformar pelos processamentos electrónicos e o violoncelo lida com a corda extra (tem cinco), mas, como não podia deixar de ser, também o percurso jazz de Massaria e Gasser se faz sentir – de resto, o italiano foi aluno de Joe Pass e Kenny Burrell. Tudo, nesta “música haiku”, é alusivo a elementos naturais, seguindo a própria tradição da poesia nipónica. Os próprios títulos das peças o indicam, como “Spring Rain”, “The Distant Mountain”, “Snow Melting”, “Lovely – The Sky” ou “Flowers in the Evening”. Aqui está uma boa desculpa para deixarmos o bulício da cidade lá fora e apaziguarmos a mente sem que esta adormeça. Nem seria possível: o que vai acontecendo ao longo do álbum mantém-nos a atenção alerta até ao derradeiro instante.