Devotion

Dave Douglas / Uri Caine / Andrew Cyrille: “Devotion” (Greenleaf) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Greenleaf

Cinco anos após o notável “Present Joys”, o trompetista Dave Douglas (n. 1963) e o pianista Uri Caine (n. 1956) – companheiros de jornada pelo menos desde que o segundo se distinguiu como membro do celebrado sexteto (mais tarde quinteto) do primeiro, nos anos 1990, e depois em inúmeras colaborações ...

Ler mais

Desidério Lázaro: “Homegrown” (Fundação GDA) (Curtas)

Curtas

O conteúdo deste “Homegrown” surge como o natural desenvolvimento de algumas das premissas que Desidério Lázaro tinha começado por explorar nos anteriores “Moving” e “Subtractive Colors”, e tal acontece com mais um aumento da fasquia de qualidade que já distinguia esses discos. Ainda que, de todos os apontados, este seja ...

Ler mais

Ernesto Rodrigues / Abdul Moimême / Antez: “Magma” (Creative Sources) (Curtas)

Curtas

Primeiro é o silêncio. Depois, quando esperávamos que dele crescessem pequenos sons, segundo a cartilha da tendência reducionista da improvisação (Ernesto Rodrigues, o violetista, tem sido um dos seus rostos a nível internacional), é o que parece um trovão o que ouvimos. Súbito e violento, com outros rebentamentos a acontecerem ...

Ler mais

Jeffery Davis: “For Mad People Only” (Carimbo Porta-Jazz) (Curtas)

Curtas

Um de vários músicos de outras origens geográficas que há muito fixaram residência em Portugal, o canadiano Jeffery Davis é não só o mais importante vibrafonista de jazz com actividade no nosso país como também o responsável maior por hoje existirem entre nós alguns jovens bons praticantes desse instrumento – ...

Ler mais

Rodrigo Amado / Chris Corsano: “No Place to Fall” (Astral Spirits) (Curtas)

Curtas

Até que compreendemos quando Rão Kyao argumenta que um dos motivos que o levaram a afastar-se do jazz – ou pelo menos do jazz de ponta que se praticava na altura em que tinha o saxofone tenor como instrumento principal – era o facto de, na altura, haver a tendência ...

Ler mais

Overground Collective: “Super Mario” (Babel Label) (Curtas)

Curtas

Músico português sediado em Londres, onde tem centrado a sua actividade à frente deste Overground Collective (uma “big band” de 18 elementos) e com o quinteto Stolen Project, pelo meio dedicando-se à escrita de música para filmes e para orquestras e grupos de câmara, o guitarrista Paulo Dias Duarte inspira-se ...

Ler mais

Samuel Martins Coelho: “Partita para Violino Solo” (Ed. de Autor) (Curtas)

Curtas

Um álbum a solo não era o que esperávamos deste músico sediado em Guimarães que habitualmente encontramos em projectos colectivos de vária índole, dos grupos dedicados a uma improvisação de carácter pós-modernista e mutante como Space Ensemble e MODS Collective a um trabalho de composição que tem tido o Teatro ...

Ler mais

José Dias & Awareness: “Live at SMUP” (Escanifobético) (Curtas)

Curtas

Depois do surpreendente “After Silence”, em que o ouvimos a solo, eis que 2019 nos traz um segundo disco do guitarrista e compositor José Dias, desta vez à frente do quarteto Awareness, partilhado com os saxofonistas Francisco Andrade (tenor) e Gonçalo Prazeres (alto e barítono) e com o baterista Rui ...

Ler mais

Day After Day

Ben Monder: “Day After Day” (Sunnyside) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Sunnyside

Ao cabo de três décadas e meia de um percurso relevante a vários níveis, Ben Monder (n. 1962) continua a revelar-se um guitarrista flexível e que camaleonicamente se adapta a diferentes contextos, dos mais convencionais aos mais desafiantes (o seu nome consta da ficha técnica de largas dezenas de discos). ...

Ler mais

Lady M

Marc Ducret: “Lady M” (Ayler Records) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Ayler Records

Ao longo dos últimos quatro séculos, diversos compositores mergulharam na complexidade da obra de William Shakespeare, intemporal tratado acerca da natureza das mais insondáveis emoções humanas. Wagner, Verdi, Mendelssohn, Berlioz, Strauss, Gounod, Bellini e Bernstein foram apenas alguns dos que abordaram esse inesgotável manancial, permitindo interpretar a obra do bardo ...

Ler mais

Evans in England

Bill Evans: “Evans in England” (Resonance) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Resonance

Londres, dezembro de 1969: um Bill Evans intrigado segue o cabo ligado ao microfone Beyerdynamic que encontrara segundos antes no chão, judiciosamente posicionado entre o piano e o contrabaixo. No outro extremo dá de caras com um meticuloso francês chamado “Jo” (o nome monossilábico destina-se a preservar o anonimato requerido) ...

Ler mais

Clockwise

Anna Webber: “Clockwise” (Pi Recordings) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Pi Recordings

Conhecemos a saxofonista, flautista e compositora Anna Webber (n. 1984), ativa há mais de uma década no agitado meio nova-iorquino, sobretudo por via das suas colaborações com gente distinta como John Hollenbeck, Matt Mitchell ou Dan Weiss. Mas é bom não esquecer que já são dez os registos que ostentam ...

Ler mais

Witold Oleszak / Luís Vicente + Witold Oleszak / Vasco Trilla: “Live at 1st Spontaneous Music Festival” (Spontaneous Music Tribune) (Curtas)

Curtas

Este é o primeiro tomo da Spontaneous Live Series, colecção de discos que irá documentar o que aconteça no Spontaneous Music Festival, evento realizado anualmente por alturas de Maio em Poznan, na Polónia. Sintomático é que, logo na estreia da editora, a um pianista local, Witold Oleszak, se juntem, num ...

Ler mais

Xose Miguélez: “Ontology” (Origin Records) (Curtas)

Curtas

Um dos saxofonistas de maior relevo na cena galega do jazz, Xose Miguélez é também um especialista – e um praticante, utilizando a gaita-de-foles – da música tradicional da sua região, que de resto ensina no Conservatório de Vigo. E é também um dos presentes cultores disso a que se ...

Ler mais

Patrick Brennan / Abdul Moimême: “Terraphonia” (Creative Sources) (Curtas)

Curtas

Quem está familiarizado tanto com a discografia de Patrick Brennan como com a de Abdul Moimême tem em “Terraphonia” muito com que se surpreender. Do lado do saxofonista encontramos um discurso não-linear e fragmentário que vai bem mais longe do que quaisquer dos seus anteriores usos de espaços e respirações. ...

Ler mais

O Carro de Fogo de Sei Miguel

O Carro de Fogo de Sei Miguel

Cenário e personagem (Destaques)

Destaques / Clean Feed

Este é um disco que é também uma banda e uma música, e tanto cenário como personagem. Sei Miguel foi desenvolvendo um projecto de jazz de fusão com a sonoridade dos «órgãos infiltrados nas guitarras» de algum rock e o primeiro resultado em disco está, finalmente, aqui. Um LP excepcional, que se junta aos discos essenciais de música portuguesa que só se podem ouvir em vinil.

Ler mais

Deepscape

Jay Anderson: “Deepscape” (SteepleChase) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Steeplechase

Apesar de o seu nome figurar em mais de quatro centenas de fichas técnicas de discos, o trabalho de Jay Anderson (n. 1955) é insuficientemente conhecido, sobretudo do lado de cá do Atlântico. Para tal concorre o facto de “Deepscape”, com chancela da dinamarquesa SteepleChase, ser apenas o terceiro registo ...

Ler mais

III

TGB: “III” (Clean Feed) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Clean Feed

Desmontando o trio de letras que forma este trio de músicos – TGB – ficamos com a instrumentação: Tuba, Guitarra e Bateria. A coisa é simples e a música é simples, não deixando de ser igualmente tão atraente como o desvendar da sigla. A instrumentação é invulgar no jazz, mas ...

Ler mais

Jorge Nuno Connection: “São Paulo” (Creative Sources / Big Papa Records) (Curtas)

Curtas

O guitarrista português Jorge Nuno (Signs of the Silhouette, Dead Vortex, Uivo Zebra) começou por documentar a sua ligação com a cena da música improvisada de São Paulo, Brasil, por meio de um disco que teve a intervenção de Márcio Gibson, “Hãl”. Neste, o primeiro de uma série em que ...

Ler mais

Come What May

Joshua Redman Quartet: “Come What May” (Nonesuch) (Críticas Soltas)

Críticas Soltas / Nonesuch

O jazz é, na melhor das formulações, a música da interação, da imprevisibilidade, do risco. Há muito se debate até que ponto a relação pessoal entre os músicos é determinante para a criação, em especial quando esta se desenvolve em tempo real, com pouca ou nenhuma rede.

Porventura o mais ...

Ler mais