Sei Miguel Quarteto, 2 de Março de 2015

Sei Miguel Quarteto

Elegância e suspensão

texto Bernardo Álvares

Sei Miguel apresentou ao vivo no passado dia 27 o seu novo quarteto, inserido no ciclo de concertos 60/3. Aconteceu no Carpe Diem, com um regresso ao bebop.

O novo quarteto de Sei Miguel é constituído por Fala Mariam no trombone, indispensável em qualquer formação do trompetista, Hernâni Faustino no baixo eléctrico e Luís Desirat na bateria. O espaço em que se estreou, inserido no antigo Palácio do Marquês de Pombal, privilegiou um concerto intimista, pautado por organização e elegância.

Ouviu-se um Sei Miguel mais “jazz cat” que nunca, trabalhando um som e um imaginário “kitsch” do bop dos anos 1950. As intervenções faladas de Miguel nos intervalos entre as músicas sugeriam uma forte imagética do dia-a-dia numa universalização / complexificação do vulgar. A suspensão no final das músicas foi também decisiva para a atmosfera etérea de meta-jazz.

O quarteto superou as expectativas pela forte coesão. Faustino intercalou ritmos quebrados em imprevisibilidade natural com um “walking bass” mais clássico, mas foi Desirat quem mais contribuiu para a sonoridade “jazzy” a segurar o “swing” no ride da bateria. Fala Mariam harmonizava todos os elementos.

Segundo Sei Miguel, até o Marquês de Pombal teria gostado da estrutura de alguns dos temas.